Comparoni: produção de sandálias com macramê

A Comparoni está prestando consultoria em desenvolvimento de produtos de algodão colorido para o grupo Natural Cotton Color.

A novidade é a nova coleção de calçados elaborada com macramê. A técnica artesanal é realizada com fios cujos nós são dados sem uso de máquinas, é uma técnica essencialmente manual. A proposta foi torcer o fio de algodão colorido. Só depois de superada esta etapa poderíamos prosseguir com o projeto.

REF: NCC517

REF: NCC517 – sandália em macramê ponto Festonê

O desafio foi realizado com maestria por Marcone Alves Pinheiro. Sua especialidade é a fabricação de redes no tear manual, cujo ateliê produz macramê em parceria com uma uma associação que reúne 35 artesãos, a maioria mulheres. A produção, usando ponto chato e festonê, está nas mãos destes artesãos de Gurinhém, no Agreste da Paraíba.

“Mais uma superação. Foi gratificante colocar a técnica do macramê em um produto 100% paraibano e participar da cadeia produtiva sustentável como a do algodão colorido orgânico do grupo Natural Cotton Color”, diz Rosangela Comparoni.
REF: NCC516

REF: NCC516 – Sandália em macramê ponto Chato

REF: NCC515

REF: NCC515 Sandália em macramê ponto Festonê

Peça de Ronaldo Fraga em exposição em Londres

Um dos looks criados pelo estilista Ronaldo Fraga está na exposição “Designs of the Year”, no Design Museum de Londres até 25 de agosto de 2014. A mostra reúne os trabalhos mais inovadores e originais e conta também com peças de Dior, Prada e outras criações que se destacaram durante no último ano.

A peça escolhida de Fraga faz parte da coleção “Carne Seca ou um turista aprendiz em terra áspera”, inspirada na Caatinga, bioma brasileiro, essencialmente nordestino e único no mundo.

O estilista Ronaldo Fraga traduz signos da cultura brasileira para roupas. Com esta “pegada”, este ano também mostrou trabalhos de design sobre couro desenvolvidos com Heloísa Crocco da Lineapele, uma das maiores feiras de couro do mundo, que acontece em Bologna, na Itália.

No salão, mostrou o couro como produto cultural. Entre as peles, reproduziu a textura de um peixe em extinção na Caatinga, o Surubim pintado. Saiba mais detalhes deste trabaho neste link.

Este ano, Ronaldo Fraga criou a Coleção Carne Seca, inspirado no Sertão nordestino.

Ronaldo Fraga criou a coleção “Carne Seca ou um turista aprendiz em terra áspera, inspirado na Caatinga, durante pesquisa no sertão nordestino.

O vestido inspirado de Ronaldo Fraga foi escolhido para exposicão em Londres.

O vestido inspirado de Ronaldo Fraga foi escolhido para exposicão em Londres.

Animale e a releitura da renda renascença I

Em fevereiro, a Animale lançou uma proposta inovadora. Fazer peças de renda renascença utilizando, no lugar do lacê, couro. E mais: trocar a fina e delicada linha por uma mais grossa — o que exige também novas agulhas.

Como adoramos desafios, ficamos animadas (e curiosas): como seria este novo produto? Qual seria o resultado, onde seria usado nas criações da marca?

Veja como é feita a renda renascença tradicional neste link.

O couro alinhavado sobre o croqui 1.

O couro alinhavado sobre o croqui 1.

Os pontos da renda renascença surgindo entre o lacê de couro.

Os pontos da renda renascença surgindo entre o lacê de couro.

O projeto dos croquis e do entremeio foi feito pelas estilistas da Animale. O desenvolvimento do desenho entre as tiras de couro foi realizado pelas rendeiras — que estavam dispostas ao desafio — no Cariri paraibano. Sim, houve muita polêmica: “Onde já se viu? Usar couro! Isso não vai dar certo, etc”. A nossa sorte é ter a parceria da experiente Marlene Leopoldino, rendeira aberta às novidades da Moda que, como nós, ficou animadíssima com as novas possibilidades do fazer artesanal e aceitou prontamente o desafio.

Para agilizar o trabalho, pedimos que o couro já viesse perfurado. Ele chegou assim: os furos milimetricamente espaçados, feitos com precisão à laser.

“Foi uma tarefa árdua realizar este desenvolvimento. Fizemos e refizemos o trabalho, mas conseguimos atingir o objetivo da empresa. Todos aprenderam muito com este intercâmbio do design e do artesanato. , contou Rosangela Comparoni

O couro alinhavado sobre o croqui 2.

O couro alinhavado sobre o croqui 2.

Os pontos da renda renascença surgindo entre o lacê de couro.

Os pontos da renda renascença surgindo entre o lacê de couro.

19º Salão de Artesanato da Paraíba destaca uso de fibras

Começou a 19ª edição do Salão de Artesanato da Paraíba. Este ano o tema é “Nossa Arte tem Fibra” para valorizar os artesãos e produtos que utilizam fibras como matéria-prima. O Salão funciona até dia 26 de janeiro e reúne 6 mil artesãos de 130 municípios.

No artesanato paraibano, as fibras mais usadas são as palhas de coqueiro, de bananeira, do milho e da carnaúba.

Salão de Artesanato

19º Salão de Artesanato “Nossa Arte tem Fibra” homenageia artesãos que trabalham com fibras. Foto: Krystine Carneiro/G1.  A cenografia é de Sergio J. Matos.

Curiosidade: perto do Salão de Artesanato em João Pessoa, no Clube Jangada, em Cabo Branco, está uma grande referência turística do estado, o Farol do Cabo Branco, inaugurado em 1972. O desenho do farol homensageia a planta do sisal. Sabe por que?

A Paraíba já foi referência nacional na produção de Sisal e já contribuiu com 90% da produção nacional, hoje participa apenas com 3%. A cultura do sisal começou no Brasil na década de 40, e até a década de 50 quem liderava o plantio era o Estado da Paraíba. Com o passar dos anos o quadro foi se invertendo e hoje a Bahia detém 97% da produção.

Produção de bordados richelieu para a Fábula

Durante este segundo semestre, trabalhamos intensamente na produção de richelieu e bordados com aplicação de miçangas para a marca infantil Fábula.

O vestido foi feito com o bordado richelieu, artesanato tradicional da cidade de Timbaúba dos Batistas, no Rio Grande do Norte. A produção foi realizada na cidade Jardim de Seridó, na região do Seridó potiguar. As artesãs, reunidas em associação, ficaram animadas com a novidade: trazer o richelieu usado nas roupas de cama, mesa e banho para a Moda.

O bordado richelieu é feito manualmente ou na máquina de costura. Como era uma produção grande, optamos pela técnica feita à máquina. Depois de pronto, o bordado passa por recortes no tecido feitos com tesoura, de forma manual.

As miçangas da saia, bordadas também em ponto rústico, foram aplicadas à mão em Alagoa Nova, na região do Agreste da Paraíba.

Vestido bordado em Richelie para a Fábula.

Vestido veio cortado. Após feito o bordado Richelieu no RN, ele volta para o RJ e é  costurado pela marca Fábula.

Bordado com aplicação de miçangas feitos na região do Seridó - RN.

O bordado Richelieu foi feito na região do Seridó – RN, mas a aplicação de miçangas foi em Alagoa Nova, na Paraíba.

A blusa bordada no Nordeste em Richelie para a marca infantil Fábula.

A blusa bordada no Nordeste em Richelie para a marca infantil Fábula.

Natural Cotton Color lança nova coleção na Biofach Japão

Depois de produzir algodão orgânico colorido certificado pelo IBD, o grupo Natural Cotton Color apresentou suas novas coleções na Biofach do Japão em outubro de 2013.

A Biofach é a maior feira de orgânicos do mundo. Reúne produtos de vários setores, entre eles, moda, beleza, decoração e alimentos.

Entre as novidades do grupo Natural Cotton Color, a moda feminina de Francisca Viera com os vestidos, calças e blusas em algodão colorido nos tons clássicos bege e marrom e novas peças com algodão branco tingido com corantes naturais. A criação desta coleção teve como tema a renda filé, artesanato tradicional do Nordeste.

Francisca Vieira apresentou sua coleção de algodão orgânico na Biofach Japão.

Francisca Vieira do grupo Natural Cotton Color apresentou sua coleção de moda sustentável na Biofach Japão em novembro de 2013. A Biofach é a feira de produtos orgânicos mais importante do mundo.

A empresária Francisca Vieira, estilista e líder do grupo Natural Cotton Color no estande da Biofach Japão em 2013,

A empresária Francisca Vieira, estilista e líder do grupo Natural Cotton Color no estande da Biofach Japão em 2013,

Natural Cotton Color só garantiu espaço na Biofach comprovando  que os produtos são produzidos com algodão orgânico.

Natural Cotton Color só garantiu espaço na Biofach comprovando que os produtos são produzidos com algodão orgânico.

Designers têxteis da Paraíba na Indigo Paris

Os designers Dyogenes Chaves e Romero Sousa, da Natural Cotton Color, levam pela terceira vez suas estampas criadas na Paraíba para a Indigo Paris. Desta vez, incluem na bagagem as criações de Célia Araújo, Alex de Brito, Paula Tabosa e Thamires Pontes e Juliana Rabinovitz.

A Indigo Paris faz parte da Premiere Vision, um dos maiores salões de moda do mundo no segmento têxtil e tem também eventos em New York, Lisboa, Shangai, Bruxelas e São Paulo.

O salão na capital francesa acontece de 17 e 19 de setembro no Parc d’Expositions Paris Nord Villepinte e abriga cerca de 200 estúdios.

São desenhos, bordados, transfers e apliques oferecidos aos líderes de mercado da alta-costura, prêt-à-porter, lojas de departamentos, decoração, sportswear e lingerie, além de indústrias, para inspirar suas coleções de Outono-Inverno 2014/2015.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Tassel: desenvolvendo ponteiras artesanais para a Moda Farm

Em agosto a consultora Rosangela Comparoni recebeu o desafio de desenvolver um tassel com fios de algodão para a Farm. Além de criar um produto bonito, o objetivo a ser alcançado era encontrar um arranjo produtivo que desse conta do pedido: 2000 unidades — feitas uma a uma, à mão. Assim, apesar de termos desenvolvido a peça na Baía da Traição, no litoral paraibano, só foi possível realizar a produção em Alagoa Nova, no agreste da Paraíba.

Uma das partes mais bacanas do trabalho foi a curiosidade que a levou a pesquisar sobre o pingente: ficou intrigada ao descobrir a origem do tassel, também conhecido como barbicacho ou borla — muito usado em cortinas. Na Moda, já vimos tassel em mocassins e bolsas. Foi assim que soube que no Oriente Médio o tassel era usado nas pontas de chapéus para afastar os maus espíritos! “Atualmente ainda vemos o tassel pendurado naquele chapéu da colação de grau”, diz Rosangela Comparoni.

Agora, cada vez mais curiosa: onde será que a Farm vai usar estas ponteiras? 

“Fazer o tassel foi relativamente fácil… deu mais trabalho contar e recontar as 2000 unidades”, brincou Rosangela Comparoni.

Cada novelo de 1000 m rendeu 80 ponteiras.

Cada novelo de 1000 m rendeu 80 ponteiras.

Para fazer a ponteira usa-se os dedos e um suporte de papel rígido.  Veja o passo-a-passo abaixo.

Franjas de macramê das redes nordestinas inspiram a Moda

A Comparoni ajudou a construir os nós e franjas do macramê nas peças da coleção 2014 da Farm (já contamos como começou a consultoria de artesanato neste link).

O aviamento artesanal, feito em ponto chato com fios de algodão, foi produzido em dois locais: a base, em crochê, foi feita em Alagoa Nova, no Brejo paraibano, e o macramê foi produzido em Gurinhém, no Agreste paraibano.

“Em Alagoa Nova, um grupo de 20 mulheres fez o crochê. E em Gurinhém, encontramos o Marcone Pinheiro, que liderou o grupo de 35 mulheres para fazer as franjas — mais conhecidas na região como ‘varandas de rede'”, explica Rosangela Comparoni.

Franja desenvolvida para roupas da Farm.

Peça piloto com 15 fios para a Farm. Para dar mais leveza, a produção foi realizada com 10 fios. A peça foi desenvolvida no Agreste Paraibano em 2013.

Foram mais duas mil peças que geraram trabalho e renda nesta região durante cerca de 6 meses. Uma curiosidade no processo artesanal do macramê: as artesãs estavam acostumadas construir os nós exclusivamente para as redes, com fios grossos. Foi a primeira vez que o processo artesanal foi alterado.

“Antes de começar o macramê foi preciso torcer os fios porque usamos linhas de costura, muito mais finas. Isso exigiu treinamento e um novo olhar das artesãs para o próprio fazer artesanal”, revela a consultora de artesanato.

Saia jacquard para Farm.

Franja de crochê feita em Alagoa Nova e macramê para saia jacquard da Farm feita em Gurinhém, na Paraíba.

Franjas para roupas da Farm. Consultoria Comparoni.

Franjas para roupas da Farm. Consultoria de artesanato da Comparoni na Paraíba.

Franja de macramê produzida para camiseta Farm.

Franja de macramê produzida para camiseta Farm.

Camiseta Farm com franjas de macramê produtidas no Agreste Paraibano.

Camiseta Farm com franjas de macramê produzidas no Agreste Paraibano.

Desenvolvimento de produção artesanal outras marcas de moda

Em fevereiro de 2013, Rosangela Comparoni começou a desenvolver aviamentos e trabalhos artesanais para a Farm e para a Fábula, do grupo Animale. O primeiro pedido foi viabilizar um arranjo produtivo para bordar mais de 1000 blusas e vestidos para as marcas. Ficamos impressionadas com o bom gosto e criatividade das estilistas que solicitaram o Bordado Rústico sobre tecidos estampados.

O efeito ficou ótimo! A linha de algodão e o efeito rústico fez um belo contraste com a leveza do tecido. Vejam abaixo o desenho e o resultado realizado pela equipe de artesãs. Recebemos as peças cortadas e a montagem e a costura foram finalizas no Rio de Janeiro.

O trabalho foi realizado durante 6 meses, envolvendo mais de 15 municípios da região do Seridó e gerou renda para cerca de 100 artesãs.

“O bordado Rústico estava esquecido. Foi gratificante desenvolver e disseminar a técnica em vários municípios. A partir de três mulheres que dominavam a técnica em Timbaúba dos Batistas, toda a equipe da região do Seridó foi treinada”, revela Rosangela Comparoni.

Desenho de flores sugerido pela estilista Farm.

Desenho de flores sugerido pela estilista Farm.

Bordado Rústico sobre tecido estampado. Criação Farm.

Bordado Rústico sobre tecido estampado. Criação Farm.

Entradas Mais Antigas Anteriores